Follow by Email

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

A PALAVRA É ADMINISTRAR

Olá.
São comuns as perguntas nas ruas de Juiz de Fora sobre problemas que afetam o centro da cidade, os bairros e vilas, os distritos e que existem há tanto tempo sem previsão de solução. São diferentes observações que vão do asfalto ruim, dos buracos, da coleta de lixo realizada em horário inadequado a falta de capina, sujeira nas ruas etc. Casos pontuais mas que, no todo, afetam diretamente a vida das comunidades e, estas, por sua vez, sentem a falta de uma resposta. Perde-se a esperança. Talvez seja por isso que, numa campanha política, vence aquele candidato que faz o discurso mais bonito, recheado de promessas com a ilusão da palavra fácil. Vem os aplausos e a certeza da eleição. Mas, é no curso de tempo em que o “eleito” fica no poder é que se mede a sua capacidade; ou de trabalho ou de continuar iludindo através do convecimento fácil. Sejamos racionais: uma cidade nunca deixará de ter os seus problemas. O asfalto vai rachar, os buracos sempre vão existir, o mato vai crescer, alguém vai jogar papel na rua, lixo nas encostas, córregos ou rios, vai faltar água... Ninguém, em lugar algum do mundo, será capaz de resolver tudo porque sempre haverá quem reclame de alguma coisa – até de não ter do que reclamar. Sempre foi assim. É da natureza humana. Mas dá para fazer muita coisa. É só começar. Aí é que mora o problema. Quando não se faz nada a tendência da situação é piorar. Compre um carro novo: ande com ele 10, 20, 30 ... 50 mil quilômetros sem nunca realizar a manutenção preventiva. Vai chegar o dia em que o veículo vai parar com uma sucessão de problemas que, se resolvidos no tempo certo, não apareceriam tão cedo. O bom administrador, de uma empresa ou órgão público, tem que saber ouvir e cabe a ele propor a solução dos problemas que estão causado desconforto. O que revolta é o ruído da comunicação, a promessa vazia. Acho que é por isso que os políticos andam desacreditados.

Até a próxima.

Abs
Sérgio Rodrigues

Um comentário:

Marcelo disse...

Concordo com suas palavras Sergio. Acho que falta em JF assim como em todo o Brasil e quiça na América latina, os departamentos, ministérios, etc.. reponsáveis por cada área de atuação se atentarem no tamanho de suas responsabilidades e realmente fazer alguma diferença. O governo precisa entender que não é somente a economia no Brasil que precisa melhorar. Falta nós, brasileiros, cobrarmos resultados e punições severas que sirvam de exemplo.